Progetti di contrasto alla povertà AMU

Image

Projectos AMU anti-pobreza

As empresas que aderem à EdC partilham os seus lucros anuais para três objectivos: projectos de desenvolvimento e assistência a pessoas necessitadas, formação na cultura da doação, e consolidação e crescimento empresarial.

Para o primeiro destes propósitos, a EdC colabora estreitamente com a AMU - Action for a United World ONLUS, que administra parte dos lucros reunidos pelas empresas, para implementar projetos de desenvolvimento que devolvem trabalho e dignidade a pessoas em condições social e economicamente vulneráveis.

Juntos, desenvolvemos e implementamos projetos para o início e consolidação de atividades produtivas com alto impacto social, que criam novos empregos para pessoas em condições vulneráveis. Desta forma, as pessoas que de outra forma seriam dependentes de ajuda externa têm a oportunidade de melhorar e aprimorar suas habilidades de trabalho, ganhando com seu trabalho a compensação certa que lhes permite e a suas famílias viver com dignidade.

Os projetos sempre partem das propostas de nossas associações parceiras locais que, inspiradas nos valores da EdC, trabalham de perto com situações de miséria no mundo.

A experiência adquirida no campo e os valores na base de nosso trabalho nos permitiram desenvolver nos últimos anos o que chamamos de "desenvolvimento da comunhão": uma perspectiva de desenvolvimento baseada na capacidade de cada pessoa de dar algo de si mesma e dos bens à sua disposição, mesmo em condições de grave necessidade. É por isso que em cada projeto fornecemos formas e ferramentas específicas para implementar a reciprocidade do dom, um sinal de protagonismo das pessoas envolvidas e uma garantia de um verdadeiro caminho de desenvolvimento humano integral.

Relatório Social

Em Junho de 2023, AMU publicou o Relatório Social 2022, o instrumento que pretende comunicar com incisividade e sinceridade a vida da associação, o compromisso dos membros e colaboradores, os impactos do seu trabalho, mas acima de tudo para manter viva e espalhar a tensão em direcção a um Mundo Unido.

0

#AMU - México, Refúgio da esperança: a vida que recomeça

Desde a sua abertura, o Refúgio da Esperança para a reintegração social e do trabalho de ex-drogados teceu fios de diferentes histórias, unidos por um único desejo, o de recomeçar a viver.

publicado no site da AMU

Os primeiros raios do sol vislumbram sobre o imponente vulcão Popocatepetl, que forma o pano de fundo da Casa San Benito. Ouve-se o som de passos ágeis subindo uma escadaria estreita que leva a uma pequena capela: é a hora da oração da manhã com a qual o primeiro grupo de hóspedes do abrigo iniciam o dia. Depois do café da manhã, os jovens estão prontos para começar o dia: alguns irão ao barracão onde cuidarão da criação dos coelhos, outros irão à oficina de carpintaria ou irão às áreas verdes para cuidar das árvores frutíferas e do jardim.

Osmar tem 20 anos e chegou no outubro passado, deixando a sua pequena comunidade que fica cerca de 170 quilômetros de Ozumba, para embarcar em um difícil, mas necessário, processo de recuperação. Em casa, LiberarSéAmu 02 ele deixou os pais, a esposa e o filho recém-nascido. Ele se encaminha em direção ao seu trabalho, e depois de colocar o avental, limpar os sapatos e lavar as mãos, entra no galpão onde tem que controlar e limpar as gaiolas dos coelhos, verificar o estado dos animais, dar-lhes comida e bebida. Estes são agora gestos diários, que ele aprendeu a fazer com muito cuidado, mesmo se até pouco tempo atrás, para ele que era florista, a criação de coelhos era algo que ele não sabia de nada.

"O trabalho na fazenda é intenso, mas ajuda muito a lidar com a ausência e a distância da família", ele nos conta com uma voz emocionada, interrompendo-se apenas para dar um leve sorriso, "percebi que tudo o que eu faço e farei no futuro será por eles". Se eu estou aqui é porque eles querem que eu consiga me recuperar, e isto me impulsiona a seguir em frente".

A alguns passos da fazenda, pode-se ouvir o som das máquinas começando a funcionar: é a carpintaria onde Marco Almaraz, membro da equipe do Abrigo, retoma o trabalho para a construção de uma estante e de uma penteadeira que alguns clientes encomendaram. Após a construção dos móveis necessários para o abrigo e a crise devido aos primeiros tempos da pandemia, de fato, também começaram a chegar pequenas encomendas de fora.

LiberarSéAmu 03 rid 400O tempo no Refúgio da Esperança é marcado por muitas atividades bem organizadas. Isto também faz parte do método de recuperação e responsabilização dos hóspedes. Os jovens são divididos entre as atividades para o cuidado das áreas comuns, desde a manutenção das áreas verdes até a limpeza interna, passando pelas atividades de autocuidado, de reflexão e aquelas para o próprio crescimento espiritual e intelectual, talvez por meio da leitura de um livro ou assistindo a um filme, fazendo esporte ou participando, geralmente às sextas-feiras, de reuniões de comunidades terapêuticas. No fim de semana, o tempo é dividido entre as visitas médicas, sessões psicológicas e visitas familiares, que são retomadas todos os domingos, três meses após o início do programa.

 As atividades cotidianas, o cuidado com os outros, o encorajamento e a possibilidade de um desenvolvimento completo da pessoa, são as características do caminho e do modelo "LiberarSé - Refúgio da Esperança". Por esta razão, há vários jovens que gostariam de participar do programa, mesmo depois de terem tentado outras abordagens de reabilitação.

Alex, 25 anos, natural de Nezahualcóyotl, é um mecânico e entrou no abrigo depois de mais de uma década de consumo de bebidas alcoólicas e outras drogas. Ele ouviu falar do Lar por um tio dele, também em processo de recuperação.LiberarSéAmu 04 rid 400

Fernando, 19 anos, após várias tentativas em outros centros de reabilitação, ainda carrega os sinais de uma longa luta contra o vício que o dominou desde os seus 11 anos de idade. Mas é justamente o "modelo" proposto na Casa San Benito que lhe deu uma nova confiança e o impulso para tentar novamente: "No Abrigo, não é a disciplina fria que se transforma em violência que muda as pessoas, mas é o amor fraterno que nos encoraja a superar os vícios".

Nos próximos meses, o Refúgio da Esperança continuará a consolidar as suas atividades de cuidado, juntamente com as de autossustento, para poder difundir a sua mensagem de esperança entre os jovens.


Durante a fase de emergência do Coronavírus, a equipe também sustentou outras casas de acolhida que hospedam aqueles que seguem um percurso de desintoxicação de drogas e álcool. Além do fornecimento de alimentos e produtos de higiene e prevenção da Covid19 , através do Projeto "Living Peace International" da AMU e de sua iniciativa "Cartas pela Paz e pelo Encorajamento", foi possível receber mensagens de mais de 200 pessoas para os hóspedes dessas casas. Um gesto que trouxe esperança e encorajamento àqueles que estão seguindo um difícil caminho de recuperação física e psicológica.

Apoie o projeto AMU-EdC LiberarSé

Veja a Flickr 15galeria de fotos do projeto

Tags:
Image

vá para O ARQUIVO

Lìngua: PORTUGUÊS

Filtrar por Categorias

Siga-nos:

A economia do dar

A economia do dar

Chiara Lubich

«Ao contrário da economia consumista, baseada numa cultura do ter, a economia de comunhão é economia da partilha...

Leia mais...

As tirinhas de Formy!

As tirinhas de Formy!

Conheces a mascote do site Edc?

O dado das empresas

O dado das empresas

A nova revolução para a pequena empresa.
Dobre! Jogue! Leia! Viva! Compartilhe! Experimente!

O dado das empresas agora também em português!

Seguici su:

quem está online?

Temos 630 visitantes e Nenhum membro online

© 2008 - 2024 Economia di Comunione (EdC) - Movimento dei Focolari
creative commons Questo/a opera è pubblicato sotto una Licenza Creative Commons . Progetto grafico: Marco Riccardi - edc@marcoriccardi.it

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.