The Economy of Francesco

os jovens, um pacto, o futuro

logo ef

os jovens, um pacto, o futuro

EVENTOS INTERNACIONAIS

22-24 de Setembro de 2022 - Assis

22-24 de Setembro de 2022, Assis

"The Economy of Francesco"

os jovens, um pacto, o futuro

Última hora:

publicada hoje a carta com a qual o Papa Francisco convoca jovens economistas, empresários e empresárias, em Assis para propor um pacto para uma nova economia. A economia de comunhão participa da Comissão Organizadora do evento em conjunto com a diocese e o Município de Assis e o Instituto Serafico.

0

Noruega, Maria Jordet: Verdadeira felicidade? Nos relacionamentos

#EoF: histórias - pesquisadora de psicologia clínica, turma de 1990, estudante de doutorado na Universidade Inland Norway, viajou de trem e ônibus de Oslo a Assis para participar da escola de verão EoF.

por Angela Napoletano

publicado no site Avvenire em 11/09/2021

O que uma pesquisadora de psicologia clínica está fazendo entre 35 jovens economistas falando sobre o bem comum? Maria Jordet, turma de 1990, estudante de doutorado na Universidade Inland Norway, viajou de trem e ônibus de Oslo a Assis para participar da escola de verão "A Economia de Francisco" (EoF), o laboratório internacional de ideias e de experiências no qual jovens empreendedores e acadêmicos discutem, como o Papa Francisco muitas vezes tem insistido, soluções para uma economia mais «sustentável, inclusiva e atenta aos últimos».

«O estudo da mente e do comportamento, explica ela, tem como objetivo melhorar a consciência do que faz uma vida verdadeiramente saudável e feliz. Isso é o que fazem os economistas». Portanto, sem dúvida: «Estou no lugar certo», ela resume com um sorriso. «Quando li pela primeira vez sobre a iniciativa há mais de um ano», diz ela, «senti imediatamente que deveria estar presente, que eu também deveria responder ao chamado do Santo Padre». E assim foi. Após meses de reuniões limitadas à discussão on-line pela pandemia Covid-19, no final do verão a jovem se juntou à grande família EoF «finalmente presencialmente».

Ela está na casa dos trinta anos, mas a riqueza de cultura e experiência com a qual chegou à Úmbria não é leve. Ela esteve duas vezes no Quênia, seguindo as Irmãs Missionárias da Caridade, em um projeto voluntário, mas também conhece bem Bangladesh, onde realizou pesquisas sobre como a música e as canções tradicionais locais podem promover o bem-estar psico-físico das crianças bengali. «A primeira vez que parti, em 2014, fiquei impressionada, recorda, pela forma como as antigas melodias, aquelas que agora estão em risco de desaparecer porque ninguém se importa em transmiti-las, foram capazes de alimentar a força e a coragem daquelas crianças, meninos e meninas, de diferentes origens sociais». Foi lá, em Dhaka, que a pesquisadora teve a intuição que se tornou objeto de seu doutorado: «o que cura as feridas psicológicas do homem, ela enfatiza, é algo mais do que mera riqueza ou status social».

A felicidade mais profunda está em outro lugar. Por exemplo, ela diz, «nas relações» que, como no caso das crianças bengali, reconectam as pessoas ao seu passado ou, como mostram os resultados de outro de seus projetos sobre a ecologia e a dor de sentimentos não expressos, «ao ambiente natural do qual, por várias razões, são removidos» .Desta experiência científica, assim como pessoal, vem a visão de mundo que Maria compartilhou com a comunidade da EoF, primeiro no grupo de trabalho on-line sobre «estilos de vida e bem-estar», e depois na formação no início de setembro. 

O frescor e a curiosidade do norueguês também são alimentados por sua recente adesão ao catolicismo. «Nasci e cresci em uma família cristã, explica, mas me aproximei da Igreja de Roma há apenas alguns anos, através de um processo de discernimento que gradualmente empreendi com a generosa ajuda de um frade dominicano». O impulso final em direção ao catolicismo, acrescenta, «veio com a eleição do Papa Bergoglio que, desde o primeiro momento, conseguiu falar poderosamente ao meu coração, ainda que somente com os seus gestos». Maria destaca quase com surpresa a concretude do franciscanismo que surgiu durante as palestras e seminários da iniciativa EoF. «Apesar de meu doutorado estar muito enraizado na realidade, sempre temi a abstração da pesquisa acadêmica, confessa, mas esta experiência me ajudou a entender como fortalecer a consistência tangível de meus estudos e como direcioná-los para outros temas de relevância prática, como a justiça». Esta é uma das razões pelas quais ela espera poder continuar frequentando «os amigos de Assis» por um longo tempo. Voltar para casa e para seu trabalho diário em Oslo é iminente, mas o entusiasmo da jovem psicóloga apaixonada por natação e pela escritura é tal que ela acredita que a aventura EoF «está apenas começando».

Image

vá para O ARQUIVO

Lìngua: PORTUGUÊS

Filtrar por Categorias

Siga-nos:

10-06-2021

Editoriais – Os valores resgatados das multinacionais para vacinas, famintos e empobrecidos por...

A economia do dar

A economia do dar

Chiara Lubich

«Ao contrário da economia consumista, baseada numa cultura do ter, a economia de comunhão é economia da partilha...

Leia mais...

As tirinhas de Formy!

As tirinhas de Formy!

Conheces a mascote do site Edc?

O dado das empresas

O dado das empresas

A nova revolução para a pequena empresa.
Dobre! Jogue! Leia! Viva! Compartilhe! Experimente!

O dado das empresas agora também em português!

quem está online?

Temos 428 visitantes e Nenhum membro online

© 2008 - 2019 Economia di Comunione (EdC) - Movimento dei Focolari
creative commons Questo/a opera è pubblicato sotto una Licenza Creative Commons . Progetto grafico: Marco Riccardi - edc@marcoriccardi.it

Please publish modules in offcanvas position.

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.