Rassegna stampa

UFAL - 05/07/2011

Projeto em Branquinha trabalha Economia Solidária com assentados

por Diana Monteiro

publicado no site da Universidade Federal de Alagoas, em 05/07/2011

logo_ufalA solidariedade como fundamento do desenvolvimento local sustentado” é o projeto que está em plena ação, sob a coordenação da arquiteta e urbanista Cristina de Souza Lira Gameleira no município de Branquinha, a cerca de 80 Km de Maceió. A iniciativa integra o Projeto de Economia de Comunhão do Brasil, que enfoca um novo modelo de gestão empresarial onde o homem e sua necessidade são o centro do processo econômico e não o capital e todo o contexto no qual está inserido o capitalismo.

Ao falar sobre o projeto, Cristina Gameleira informa que a ação extensionista começou ainda na década de 90, vindo a se transformar em projeto a partir de 2003 com o desenvolvimento de atividades junto a 40 pessoas do Assentamento Zumbi dos Palmares, localizado em Branquinha.

A ousada proposta que propõe a partilha para fins humanitários, tendo como fio condutor o Projeto Economia de Comunhão, completou no último mês de maio vinte anos de existência, com a difusão do projeto já em nível internacional. A comemoração do vigésimo aniversário foi realizada no Memorial da América Latina, em São Paulo, com participação de empresários dos cinco continentes”, destaca Cristina, representante da Ufal com a pesquisa realizada em Alagoas.

Para dedicar-se mais à ação extensionista que está à frente desde a década de 90, Cristina Gameleira solicitou transferência da Superintendência de Infraeestrutura (Sinfra) para a Faculdade de Serviço Social (FSSO), firmando parceria com o grupo de pesquisa coordenado pela professora Margarida Santos. Seis alunos bolsistas de Serviço Social, Agronomia, Relações Públicas e Administração compõem atualmente a equipe multidisciplinar do projeto.

Atividades do projeto

Propor um diálogo entre a teoria do desenvolvimento sustentável e os princípios que norteiam a Economia de Comunhão foi o passo inicial da pesquisa realizada em Branquinha, alvo do projeto. “O objetivo foi conduzir um novo conceito de desenvolvimento com solidariedade e extrair alternativas para superar os gritantes problemas de pobreza existentes município que continua se sobressaindo com preocupantes Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) no Estado”, frisa a coordenadora.

De acordo com Cristina Gameleira, a realidade fez com que o projeto apresentasse alternativas tendo como primeiro aspecto a formação humana dos agentes que conduzem o desenvolvimento no município, envolvendo, dessa forma, agroempresários e a comunidade. “O objetivo é que a médio e longo prazos crie-se uma espécie de laboratório de desenvolvimento sustentável com solidariedade mais ampliada nos cinco assentamentos existentes em Branquinha, fixando o jovem no município, através de pequenas unidades fabris de beneficiamento dos produtos agrícolas”, destaca Cristina.

A coordenadora cita ainda que os demais aspectos do projeto são humanizar a economia; criar postos de emprego; e formar a comunidade nos princípios de solidariedade. “Os estudos de casos que enfocam a temática do projeto em Alagoas estão presentes no Movimento dos Focolares, do qual participo desde 1981, onde o autodesenvolvimento que existe no Brasil, África e Filipinas demonstra que é possível uma maior justiça social a partir da formação de recursos humanos no desenvolvimento do processo”, destaca.

Para este ano, o projeto em Branquinha tem definidas várias ações, como a aquisição de máquinas para produção de polpas de frutas, de artesanato a partir da folha de bananeira; confecção de bijouterias com sementes; cursos de português para os assentados; e conclusão da pequena incubadora de empreendedores solidários.

Pretendemos expandir a equipe e montar um corpo técnico do projeto. Quem se sentir identificado com a temática e tiver interesse na ação de extensão promovida pela Ufal, pode entrar em contato conosco”, complementa a coordenadora.

Os interessados podem obter mais informações através do telefone (82) 9101-7806, do e-mail cristina_lira1@hotmail ou do site.

Seguici su:

Rapporto Edc 2018

Rapporto Edc 2018

SCARICA I DOCUMENTI

SCARICA I DOCUMENTI

L’economia del dare

L’economia del dare

Chiara Lubich

"A differenza dell' economia consumista, basata su una cultura dell'avere, l'economia di comunione è l'economia del dare..."

Le strisce di Formy!

Le strisce di Formy!

Conosci la mascotte del sito Edc?

Il dado per le aziende!

Il dado per le aziende!

La nuova rivoluzione per la piccola azienda.
Scarica la APP per Android!

Seguici su:

Corsi di Economia Biblica 2019

scuola biblica box

14-15 settembre 2019
(Libro di Qoélet)
vedi volantino - Per maggiori informazioni - iscriviti qui

Rapporto Edc 2017

Rapporto Edc 2017

L’economia del dare

L’economia del dare

Chiara Lubich

"A differenza dell' economia consumista, basata su una cultura dell'avere, l'economia di comunione è l'economia del dare..."

Le strisce di Formy!

Le strisce di Formy!

Conosci la mascotte del sito Edc?

Chi è online

Abbiamo 687 visitatori e nessun utente online

© 2008 - 2019 Economia di Comunione (EdC) - Movimento dei Focolari
creative commons Questo/a opera è pubblicato sotto una Licenza Creative Commons . Progetto grafico: Marco Riccardi - info@marcoriccardi.it

Questo sito utilizza cookie tecnici, anche di terze parti, per consentire l’esplorazione sicura ed efficiente del sito. Chiudendo questo banner, o continuando la navigazione, accetti le nostre modalità per l’uso dei cookie. Nella pagina dell’informativa estesa sono indicate le modalità per negare l’installazione di qualunque cookie.