0

Carros elétricos, novidades sobre a extração de lítio do mar

A ascensão do carro elétrico está se deparando com a escassa oferta de lítio na terra. Um progresso significativo está sendo realizado por um centro universitário saudita liderado por um cientista chinês, que anuncia a possibilidade de extraí-lo do mar a um custo acessível.

por Alberto Ferrucci

publicado originalmente em italiano na revista Città Nuova em 27/08/2021

Em sua edição de julho de 2021, a revista Chemical Engineering relata uma importante descoberta científica no processo de transição tecnológica para um mundo ambientalmente sustentável, relacioando ao fornecimento de lítio, um elemento vital nas baterias que alimentam os veículos elétricos. A descoberta é particularmente significativa porque não é anunciada por uma universidade americana ou europeia, mas por uma equipe de Kaust, da Universidade de Ciência e Tecnologia King Abdullah em Thuwal, no Mar Vermelho na Arábia Saudita, liderada pelo Professor Zhiping Lai, que se formou na Universidade Tsinghua em Pequim.

O interesse particular neste avanço tecnológico reside no fato de que uma bateria de carro elétrico contém 10 kg de lítio: embora existam depósitos deste metal na América do Sul, Ásia Central e China, seu fornecimento pode ser considerado limitado, tanto por causa da localização dos depósitos como porque eles estariam, de qualquer forma, esgotados dentro de 60 anos.

Os pesquisadores da Kaust desenvolveram um sistema economicamente viável de extração de lítio de alta pureza da água do mar: os oceanos contêm cerca de cinco mil vezes mais lítio do que a terra, mas em concentrações extremamente baixas de 0,2 partes por milhão: outros metais com moléculas maiores, como sódio, magnésio e potássio, estão todos presentes na água do mar em concentrações muito maiores.

A equipe Kaust criou uma membrana cerâmica feita de óxido de lítio lantânio-titânio (Llto), cuja estrutura cristalina contém furos suficientemente grandes para permitir a passagem de íons de lítio, impedindo a passagem de íons metálicos maiores. A membrana é embutida em uma célula eletroquímica com três compartimentos. A água do mar entra na câmara central de alimentação, onde todos os íons metálicos positivos na água são direcionados eletricamente para a membrana Llto, através da qual, no entanto, apenas os íons de lítio passam devido ao tamanho dos furos: estes são concentrados em um compartimento lateral contendo uma solução tampão e um cátodo de cobre revestido com platina e rutênio. Os íons negativos, através de uma membrana padrão de troca de ânions, chegam a um terceiro compartimento contendo uma solução de cloreto de sódio e um ânodo de platina e rutênio.

Os pesquisadores testaram o sistema usando a água do Mar Vermelho. A uma tensão de 3,25 volts, a célula gera gás hidrogênio no cátodo e gás cloro no ânodo, guiando o lítio através da membrana Llto para dentro da câmara lateral.

A água enriquecida com lítio passa por quatro ciclos de processamento até atingir uma concentração 45.000 vezes maior do que a concentração inicial, resultando em fosfato sólido de lítio puro, o suficiente para atender aos requisitos dos fabricantes de baterias.

Os pesquisadores estimam que a célula requer 5 dólares em eletricidade para extrair 1 kg de lítio da água do mar. O valor do hidrogênio e do cloro produzidos pela célula mais do que compensaria este custo, enquanto a água do mar residual também poderia ser passada para as fábricas de dessalinização para fornecimento de água doce.

«Continuaremos a otimizar a estrutura da membrana e o projeto da célula para melhorar a eficiência do processo», diz o professor Zhiping Lai, cuja equipe também espera colaborar com a indústria vidreira para produzir a membrana Llto em larga escala e a um custo acessível.

Image

vá para O ARQUIVO

Lìngua: PORTUGUÊS

Filtrar por Categorias

Siga-nos:

10-06-2021

Editoriais – Os valores resgatados das multinacionais para vacinas, famintos e empobrecidos por...

A economia do dar

A economia do dar

Chiara Lubich

«Ao contrário da economia consumista, baseada numa cultura do ter, a economia de comunhão é economia da partilha...

Leia mais...

As tirinhas de Formy!

As tirinhas de Formy!

Conheces a mascote do site Edc?

O dado das empresas

O dado das empresas

A nova revolução para a pequena empresa.
Dobre! Jogue! Leia! Viva! Compartilhe! Experimente!

O dado das empresas agora também em português!

quem está online?

Temos 298 visitantes e Nenhum membro online

© 2008 - 2019 Economia di Comunione (EdC) - Movimento dei Focolari
creative commons Questo/a opera è pubblicato sotto una Licenza Creative Commons . Progetto grafico: Marco Riccardi - edc@marcoriccardi.it

Please publish modules in offcanvas position.

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.