Adeus Carmen!

Ontem de manhã Carmen Bollea De Santos nos deixou, empresária argentina de Tucumán.

por Carmen de Amarillo

Carmen Bollea 01 ridNão é fácil descrever a Carmen. Se tivesse que escolher uma única palavra, esta seria: "ciclone". Onde ela chegava revolucionava tudo ...E conseguia ir a todo o lado: ao aniversário da mãe do bispo, ao campo, à Federação dos Empresários Argentinos, aos encontros EdC... Se interessava por tudo e em tudo queria incidir. E não parava enquanto não conseguisse.

Quando se apresentava nos nossos grupos dizia: “Sou professora de inglês, mas trabalho na produção e exportação de limões”. À sua propriedade, no campo, deu o nome que Chiara Lubich lhe havia dado: TerriCitrus (terra fértil). Mas, sobretudo, Carmen se dedicava com paixão aos seus funcionários (40) e às suas famílias. Claro que não esquecia a sua família: era uma esposa e mãe amorosa e muito presente.

Trabalhou incansavelmente para proteger  e elevar o padrão de qualidade e sanidade do limãoCarmen Bollea 03 rid. Quando viajavam de carro, passando de uma província para outra, para ir aos encontros da EdC, se zangava quando achava que os controlos sanitários que via não eram suficientes. Quando já se encontrava no hospital em Buenos Aires para um longo tratamento, escreveu uma carta de agradecimento ao Presidente argentino Mauricio Macri (publicada no jornal La Nación) por ter tornado obrigatórios esses controlos. Depois, quando os Estados Unidos aprovaram a importação dos nossos limões (na realidade a Argentina, e mais precisamente Tucumán, é o exportador nº 1 a nível mundial) ofereceu ao presidente uma caixa de limões, tanta era a sua alegria pelo resultado do seu empenho. Quem sabe que repercussões poderá vir a ter esse fato.

À EdC ela aderiu de imediato. Participava em todos os encontros locais e nacionais. Muitas vezes convidava também os seus funcionários para conhecerem a EdC e assim poderem esse estilo de vida na empresa. Iniciava cada nova estação com uma missa campal com todo o pessoal. Era muito original com os outros empresários e com seus clientes: nos fazia rir quando contava que os convidava para lançar o Dado das empresas EdC e a viver o que aparecia escrito na parte superior. O respeito humano e as inibições não eram para ela. Com os seus funcionários era também muito Carmen Bollea 04 ridgenerosa, criativa e concreta. Por exemplo, criou fundos de poupança para terem acesso a empréstimos daqueles fundos por eles próprios criados. Oferecia coisas úteis, como colchões, por exemplo, por ocasião das festividades.

Carmencita, deixaste uma marca muito profunda em todos nós. Ficamos tristes pela tua ausência física, porque não podemos mais sentir a tua alegria e a tua energia, mas sabemos que no Paraíso vais continuar a trabalhar conosco e a interceder pela tua “amada EdC” como tu própria a definias.


Reportamos duas mensagens escritas por Carmen Bollea a Aldo Calliera, presidente da Associação Edc Argentina

Depois de 8 meses de tratamento em Buenos Aires Carmen escreveu:

"Obrigado irmãos da minha alma! Tenho tido tantas emoções desde que aqui chegueiCarmen Bollea Lettera Macri rid... que fiquei disfônica! Chorei tudo mas com muita alegria!  Ontem à noite outra grande emoção: o jantar de fim de ano com a outra minha família, a da EdC... a benção do padre Francisco Urbanch, a boa-vinda a Nossa Senhora do Vale, no hall  principal, milhares de abraços apertaaaados, lágrimas, palavras, faces felizes e gratas a Deus pelo fato de me reverem, cantos, desenhos de crianças, prendas... não faltou ninguém. Os meus filhos, divinos, que por oito meses se ocuparam de tudo e foi o melhor ano para a empresa. Ontem à noite vi-os todos, os 5, expressando o seu agradecimento a Deus, aos pais, aos colaboradores, unidíssimos, com muita fé, esperança, afeto, com novos projetos e sonhos para realizar!
Se sentia a presença de Jesus entre nós. Vi o espírito da EdC encarnado na TerriCitrus, o nome novo que Chiara me deu: 'Terra Fértil Lda'  com 40 funcionários... Quando comecei éramos apenas 5. Foi uma grande evolução e tudo graças ao meu "sócio invisível" que sempre me acompanhou. Obrigada. Estou muiiiito feliz por me encontrar na minha terra Fértil".

Carmen Bollea Limoni ridQuando soube do encontro com o Papa Francisco a 4 de fevereiro passado, Carmen escreveu a Aldo:

"Me custa muito não poder vir ao encontro com o Papa. Digo-te com lágrimas mas também com aquela Paz que só a voz de Deus te consegue dar, em harmonia com a minha família, sinto aquela Alquimia que transforma a dor em amor, fazendo a sua Vontade!
E deixo espaço para outros, ofereço tudo, desde o início do ano jubilar de Nossa Senhora de Fátima, pelos enfermos, por esse histórico encontro da EdC com o Papa... Que seja maravilhoso e pleno de graças para cada empresa. Família, um grande beijo. Vou escrever uma cartinha ao Papa Francisco contando o que sinto no meu coração... mas com a alegria de estar convosco, na minha imaginação, no dia 4 de fevereiro.
Um grande abraço, gosto muito de ti!"

Siga-nos:

16-10-2019

O grito da Terra, o grito dos jovens empenhados nas “Fridays for future” e aquele mais subjugado...

A economia do dar

A economia do dar

Chiara Lubich

«Ao contrário da economia consumista, baseada numa cultura do ter, a economia de comunhão é economia da partilha...

Leia mais...

As tirinhas de Formy!

As tirinhas de Formy!

Conheces a mascote do site Edc?

O dado das empresas

O dado das empresas

A nova revolução para a pequena empresa.
Dobre! Jogue! Leia! Viva! Compartilhe! Experimente!

O dado das empresas agora também em português!

quem está online?

Temos 347 visitantes e Nenhum membro online

© 2008 - 2019 Economia di Comunione (EdC) - Movimento dei Focolari
creative commons Questo/a opera è pubblicato sotto una Licenza Creative Commons . Progetto grafico: Marco Riccardi - info@marcoriccardi.it

Please publish modules in offcanvas position.

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.