Últimos artigos

Programa de Fortalecimento de Negócios Inclusivos e de Comunhão têm 24 propostas inscritas

Representantes de 10 propostas pré-selecionadas participarão de Oficina de Empreendedorismo de Comunhão

Foto do Projeto de Fortalecimento sitoVinte e quatro propostas foram inscritas no Programa de Fortalecimento de Negócios Inclusivos e de Comunhão – 2015, realizado pela Associação Nacional por uma Economia de Comunhão (Anpecom). A iniciativa tem como objetivo incentivar e fortalecer negócios produtivos inclusivos que propiciem a inserção econômica de pessoas empobrecidas ou em situação de vulnerabilidade social.

O período de inscrições aconteceu de 4 de novembro a 15 de dezembro com abertura para propostas de todo o território brasileiro. “O programa foi lançado na última semana de outubro, durante a Escola Interamericana de Economia de Comunhão (EdC) para Jovens, com ecos muito positivos também por parte dos empresários presentes, muitos deles conectados com a EdC desde os seus primórdios”, destacou Dima Pinto, gestora da área de projetos da associação.

As propostas inscritas já estão sendo avaliadas. Dez serão pré-selecionadas, das quais dois representantes de cada devem participar da Oficina Introdutória ao Empreendedorismo de Comunhão, de 15 a 19 de fevereiro de 2016, no Polo Empresarial Ginetta, em Igarassu (Pernambuco).

Estes primeiros passos só têm sido possíveis graças a uma disposição de co-criação por parte de vários interlocutores, ou seja, empresários, consultores, representantes de instituições. Evidência clara de que a cultura da comunhão está em alta", frisou Dima.

Linhas de atuação

Puderam apresentar propostas ao programa, organizações e pessoas comprometidas com a construção de um mundo em equidade, justo e fraterno, cujos projetos tenham proposto empreendimentos novos, ou já existentes (“beneficiários”), que apresentaram pelo menos uma das seguintes linhas de atuação:

a) Negócios idealizados por pessoas ou grupos em situação de vulnerabilidade social;

b) Negócios que ofereçam produtos ou serviços para as classes sociais brasileiras C, D e E, de acordo com o Critério de Classificação Econômica Brasil da ABEP (Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa), bem como negócios que ofereçam produtos ou serviços essenciais às necessidades e características da população de baixa renda, ligados aos segmentos de alimentação, educação, saúde, acesso à água, energias mais limpas, segurança e habitação, enfim que gerem, diretamente, impacto social; ou

c) Negócios que tenham como natureza a oferta de oportunidades de desenvolvimento humano e social para pessoas empobrecidas ou em situação de vulnerabilidade social.

Siga-nos:

29-07-2020

A casa comum só pode se tornar mais humana e mais hospitaleira se a olharmos e pensarmos nela...

A economia do dar

A economia do dar

Chiara Lubich

«Ao contrário da economia consumista, baseada numa cultura do ter, a economia de comunhão é economia da partilha...

Leia mais...

As tirinhas de Formy!

As tirinhas de Formy!

Conheces a mascote do site Edc?

O dado das empresas

O dado das empresas

A nova revolução para a pequena empresa.
Dobre! Jogue! Leia! Viva! Compartilhe! Experimente!

O dado das empresas agora também em português!

Seguici su:

Rapporto Edc 2017

Rapporto Edc 2017

L’economia del dare

L’economia del dare

Chiara Lubich

"A differenza dell' economia consumista, basata su una cultura dell'avere, l'economia di comunione è l'economia del dare..."

Le strisce di Formy!

Le strisce di Formy!

Conosci la mascotte del sito Edc?

quem está online?

Temos 934 visitantes e Nenhum membro online

© 2008 - 2019 Economia di Comunione (EdC) - Movimento dei Focolari
creative commons Questo/a opera è pubblicato sotto una Licenza Creative Commons . Progetto grafico: Marco Riccardi - info@marcoriccardi.it

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.