A cultura do dar e os Polos Edc

Entrevista à socióloga Vera Araujo

Logo_Scuola_Edc_Loppiano_ridComo os nossos leitores sabem, o Per-corso Edc (Percurso Edc) é uma escola de aprofundamento para empresários e trabalhadores do Polo e da Cidadela/Cidadezinha de Loppiano, aberta também a pessoas interessadas em Edc que vêm de regiões mais ou menos próximas e que acompanham com frequência os encontros desde o seu início, em março de 2012.

No último dia 15 de outubro, realizou-se no Polo Lionello o 5° encontro da escola, com una palestrante inusitada, a socióloga brasileira Vera Araujo, testemunha da primeira hora do projeto e teórica da “cultura do dar”.

Laura Di Francesco a entrevistou para nós.

Vera, que comportamentos são necessários num Polo Edc para se ter a certeza de ser portadores da cultura do dar?

Substancialmente três: antes de tudo o respeito de um para com o outro, aquele respeito que significa que o outro é importante para mim, como eu sou para Vera_Araujo_rid_dxele. O respeito resume todos os dons, todos os recursos, todas as qualidades, também todos os defeitos que alguém possa ter em relação com o outro. O segundo é o dom, a cultura do dar, que significa a partilha, portanto, a capacidade de fazer comunhão entre todos os habitantes do Polo que tem como “missão” dar credibilidade à Economia de Comunhão. Credibilidade significa mostrar que existe uma Economia que é Comunhão. Terceiro: fazer das dificuldades uma oportunidade.

Por que justamente hoje está surgindo um interesse em relação aos valores humanos, por que hoje e não antes?

Porque hoje a sociedade construiu uma rede de instituições e de estruturas que, se por um lado são de grande ajuda para o crescimento, por outro podem ser - e de fato assim se tornaram - uma armadilha, uma cobertura de aço que impede os homens de serem plenamente homens, impondo certos ritmos que vão além das possibilidades das pessoas e que dificilmente são sustentáveis. Nasce, então, essa nostalgia de uma humanidade mais humana que significa: com um ritmo diferente, com um olhar diferente, com uma mentalidade diferente. É um processo de humanização que nasce das demandas de uma sociedade estruturada de forma quase desumana.

 

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.