publicado na Revista Cidade Nova

Eli Tosta 3

Arte, empreendedorismo e inclusão produtiva. Esses três fatores se reúnem no trabalho desenvolvido há mais de 20 anos pela artista Eli Tosta e seu Ateliê Brasil. Tudo começou a partir do desejo de imergir na diversidade cultural do país. “Eu fiz minhas escolas na Europa e, quando voltei para o Brasil, queria trabalhar com segmentos naturais. Comecei a pesquisar, andar pelo país, conhecer os biomas brasileiros...”, conta a artista, que desenvolve um sério trabalho de valorização da produção artesanal de comunidades locais por meio da arte.

Empreender não estava nos planos de Eli no início de sua trajetória, mas tornou-se o meio encontrado para aumentar impacto social positivo de sua atividade como artista. “Comecei a ver que os ribeirinhos faziam coisas fantásticas. E, como artista, comecei a comprar produtos deles, fazer uma releitura daquele material e colocar na minha obra de arte. Participei de exposições internacionais, ganhei prêmios muito cedo e achei que o que eu pagava para a comunidade era pouco, perto do que eu estava recebendo. Então comecei a andar nas comunidades e conversar com os produtores: ‘Olha, se eu quisesse comprar mais isso, como a gente poderia fazer?’. Nessa trajetória de laboratório solo que eu fiz, quem financiava isso era a minha obra”, relembra.

Referência pela qualidade de seu trabalho e pela característica de inclusão social a partir do respeito das tradições locais, Eli, em pouco tempo, conquistou espaço na Europa e também no Brasil, onde institutos e grandes empresas – como Petrobrás e Natura – se tornaram seus clientes. A visibilidade deu à artista a oportunidade que buscava de combater a pobreza a partir de suas causas estruturais. No ramo de brindes corporativos, decoração e acessórios de vestuário, o Ateliê Brasil encontrou mercado para escoar a produção de diversas comunidades tradicionais espalhadas pelo país. O trabalho do Ateliê Brasil é voltado, também, para auxiliar o processo de profissionalização dessa produção. “É nisso que eu acredito. Primeiro, não existe transformação instantânea. Segundo, você tem que lidar com o que as pessoas têm no entorno, com o que está ligado à cultura local, respeitando os valores locais, mas sempre levando em conta o quanto temos para receber como aprendizado dessas pessoas.”

A mais recente empreitada assumida por Eli Tosta, um trabalho de valorização das rendeiras do sertão pernambucano (próximo à divisa com a Paraíba), lhe rendeu premiação no evento Prophetic Economy, evento realizado em outubro, na Itália, por diversas organizações internacionais (entre as quais a Economia de Comunhão) para dar visibilidade a iniciativas que apontam para uma nova forma de fazer economia, que valoriza as relações humanas e a sustentabilidade. “As mulheres fazem a renda da renascença, uma renda que as freiras na Itália ensinavam, que uma senhora aprendeu e ensinou nesse lugar. É um negócio…”, conta Eli, sem esconder a admiração pelo trabalho das rendeiras. O capricho e a sofisticação das rendas escondem a adversidade que as artistas do agreste pernambucano precisam superar diariamente. “A água vem de caminhão pipa. Todo mundo tem que fazer seu reservatório. As pessoas, nem as que têm a casa bem mobiliada, possuem máquina de lavar, para não gastar água. Eles têm uma oração para quando abrem a torneira e sai a água: ‘Água divina que veio do céu’”, relata Eli. A região chegou a ficar sete anos sem chuva.

O próximo passo do Ateliê Brasil é a captação, via parcerias, de investimento para escoamento dos produtos no exterior. “Quero atrair investimentos de fundos para que a gente possa investir em determinadas comunidades. Se você começa com uma, duas, três comunidades, você monta uma rede, um polo produtivo num local, por exemplo, como esse no Nordeste e consegue exportar coisas maravilhosas”, vislumbra.

Escrito por Thiago Borges

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Conheça o novo site da Anpecom!

Mais rápido, dinâmico e prático para você ler nossas notícias, conhecer mais da Anpecom e fazer parte dessa grande rede!

NOVO SITE banner 1

Logo Prophetic economy 290 rid mod

Castelgandolfo (Roma), 2-4 de novembro de 2018 - informações 
Prophetic Economy in practice - Award 2018 - download info e form

Siga-nos:

facebook twitter vimeo icon youtubeicon flickr

EoC-IIN

Logo Eoc iin 01 rid rid

International Incubating Network

leia mais...

Relatório EdC 2016

Cover Edc44 EN modUm ano de vida EdC, estratégias e perspectivas para o futuro. 

 Ir para a versão online

Aderir a EdC

EoC Companies crop banner rid modCadastre a sua empresa no novo site exclusivo: edc-info.org

Descubra mais...

Cidade Nova e EdC

pessoas edc003A revista Cidade Nova tem agora uma página dedicada à Economia de Comunhão, com relatos de pessoas envolvidas com o projeto.

Artigos já publicados:

Escola interamericana reunirá jovens empreendedores - 10/2015
A Aurora de uma nova cultura
- 09/2015
Comunhão e a crise grega - 08/2015
John Nash e a EdC
- 07/2015
Dado empresarial e a prática dos valores da empresa
- 06/2015
Nairóbi, capital de uma nova economia
- 05/2015
EdC e a qualidade do produto
- 04/2015
O lucro não monetário
 - 03/2015
Confiança e análise de risco - 02/2015
Economia e humanismo - 01/2015

O dado das empresas

Logo cube IT 150

A nova revolução para a pequena empresa.
Dobre! Jogue! Leia! Viva! Compartilhe! Experimente!

O dado das empresas agora também em português!

Documento de Identidade da EdC

logo_edc_benv A Economia de Comunhão (EdC) é um movimento que envolve empresários, empresas, associações, instituições econômicas, mas também trabalhadores, gestores, consumidores, poupadores, pesquisadores, operadores econômicos, pobres, cidadãos, famílias. Foi fundada por Chiara Lubich em maio de 1991 em São Paulo, no Brasil.
Leia mais... 

Linhas para a gestão de uma empresa de EdC

Binari_rid_modA Economia de Comunhão propõe às organizações produtivas que fazem própria a sua mensagem e a sua cultura, as “Linhas para a gestão de uma empresa”, escritas à luz da vida e da reflexão de milhares de empresários e trabalhadores...
Leia mais...

As tirinhas de Formy!

Ecco Formy rid mod

Conheces a mascote do site Edc?
Leia mais...

A economia da partilha

Chiara_Lubich_1Chiara Lubich

«Ao contrário da economia consumista,
baseada numa cultura do ter,
a economia de comunhão é
economia da partilha...

Leia mais...

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.