O prêmio Entrepreneur of the Year Philippines é um projeto da Fundação SGV Inc., com a participação do Ministério do Comércio e da Indústria, da fundação Philippine Business for Social Progress, e da Bolsa das Filipinas.

Investir em ser um ‘bom vizinho de casa’

publicado em Businessworld, 02/10/2017

EOY Francis Ganzon 100217 ridA confiança e a integridade desde sempre são consideradas qualidades fundamentais no setor financeiro. São exatamente estes os valores que inspiraram o advogado Francis Ganzon, 67 anos, quando assumiu o Bangko Kabayan, (na época Ibaan Rural Bank, ndr) um banco privado de desenvolvimento, cuja missão é acompanhar o crescimento de pequenas e médias empresas.

Após a graduação em Jurisprudência no Ateneu de Manila, College of Law e alguns anos de trabalho como advogado, Ganzon deixou a carreira de direito para ajudar a salvar a empresa do sogro, o Ibaan Rural Bank, Inc. (IRB). De fato, o IRB encontrava-se num momento de crise e de perda de muitos clientes, porque alguns colaboradores estavam envolvidos em casos de fraudes. “Meu sogro confiou-me a missão de reconquistar a confiança das pessoas e de certificar-me que cada coisa fosse feita conforme as regras”, recorda Ganzon.

Ganzon começou substituindo os colaboradores e trabalhando ativamente para reconquistar a confiança dos correntistas do banco. “Eu ia pelos bairros para persuadir as pessoas, prometendo um estilo de gestão diferente e explicando-lhes a importância de um banco rural”, conta. Assim, o banco começou a investir na formação profissional e a colocar as pessoas em seu foco principal. Conseguiu gerar fundos vendendo bens imóveis e outras propriedades que tinham sido adquiridas com os empréstimos que os clientes não conseguiam saldar. Mas o objetivo principal ainda era gerar novos depósitos. Somente após dez anos o IRB voltou a trabalhar de maneira estável como banco rural.

Francis Ganzon acreditou na importância de construir relacionamentos autênticos com os clientes. Este comportamento inspira-se em sua pertença a uma comunidade de fé chamada Movimento dos Focolares. “Eles têm este conceito, a Economia de Comunhão”, revela, “segundo o qual a empresa pode ser usada como instrumento para ajudar os pobres”. Esta visão levou à criação do Ibaan Rural Bank Foundation, que tem como objetivo fornecer programas de microcrédito e bolsas de estudo para estudantes merecedores, mas carentes de meios, e de patrocinar encontros de ‘community building’.

Em 1997, a crise financeira asiática atingiu mais de 50% do portfólio do banco. “Nós só não fechamos porque tínhamos uma base de Logo EOY 2017 300x91correntistas. Os nossos clientes nos viam como uma instituição na qual acreditar”, diz Ganzon. Naquele mesmo ano, o banco comemorava o seu quadragésimo aniversário e mudou seu nome para Bangko Kabayan.

Foi então que o Bangko Kabayan tornou-se conhecido com sua experiência de sucesso pelo Grameen Bank, que, em Bangladesh, oferecia aos pobres o acesso ao crédito, dando-lhes novas oportunidades para melhorar as suas condições de vida através da microfinança. Para Ganzon, entrar naquele setor significava um risco, mas foi também uma virada decisiva para o Bangko Kabayan. “Não tínhamos nos dado conta que muitas das pessoas que não tinham garantias eram, de todo modo, capazes de pagar um empréstimo”, explica. “Simplesmente, faltava-lhes a possibilidade de acesso ao crédito, e nós demos isso a eles”.

Desta forma, a microfinança tornou-se um dos principais serviços do banco, e isto gerou um mecanismo de “garantia da confiança”: o banco confia nas pessoas à quais oferece empréstimos e, em troca, os clientes confiam no fato que o banco tenha no coração os seus interesses. Ganzon explica que o banco logo percebeu o impacto social da microfinança e de como esta tenha melhorado a vida das pessoas e das pequenas empresas. Portanto, Bangko Kabayan mudou a própria visão, e tornou-se o principal instituto de crédito para pequenas e médias empresas da região, com 23 filiais nas provícias de Batangas, Quezon e Laguna.

Bangko Kabayan é orgulhoso da própria reputação de “bom vizinho” para a comunidade. Francis Ganzon transmite aos seus dependentes o valor do serviço personalizado para que a sua equipe faça a diferença entre os bancos comerciais. As sedes do banco, além disso, são para os clientes verdadeiros espaços de agregação.

Congrats Bangko Kabayan ridUm dos desafios a serem enfrentados pelo Bangko Kabayan é a concorrência com os bancos estranjeiros, que estão forçando os bancos menores a sair do mercado das regiões do interior. Todavia, Ganzon afirma que o seu banco irá continuar a crescer no território local. Outro desafio, diz, é representado pela integração entre os países da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), a qual irá trazer grandes empresas agrícolas para ameaçar a atividade das pequenas e médias empresas locais. Porém, esta também, a seu ver, é uma oportunidade para fornecer ajuda aos clientes sob forma de financiamentos adjuntos destinatos ao desenvolvimento.

A próxima fase, para o Bangko Kabayan, prevê alcançar um portfólio equilibrado entre empréstimos e receitas, mas também um maior investimento em novas tecnologias, especialmente em Internet Banking.

O Bangko Kabayan recebeu vários reconhecimentos pelos sucessos alcançados. Em 2007, recebeu o prêmio Best Capital Build-Up do Landbank e foi incluído na classificação dos 100 melhores institutos no mundo da Microfinance Information Exchange. Foi nomeado como banco parceiro da excelência na região do Land Bank das Filipinas de 2008 a 2011 e de 2013 a 2015. Além disso, recebeu o prêmio MF EAGLE pelo acesso aos serviços bancários fornecido às micro-empresas de 2003 a 2007, em 2010 e em 2011.

Francis Ganzon está convencido que a determinação e a integridade receberão sempre o justo reconhecimento, e deseja que os empresários aspirantes tenham no coração esta mensagem: “Quando se tem uma visão, é preciso permanecer-lhe fiel. Perseverem sempre, até mesmo nos momentos mais difíceis”.

A integridade e a confiança também são muito importantes. Espero ver o dia em que as transações bancárias serão concluídas com um aperto de mão, ao invés da burocracia”.

Submit to DeliciousSubmit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Siga-nos:

facebook twitter vimeo icon youtubeicon flickr

EoC-IIN

Logo Eoc iin 01 rid rid

International Incubating Network

leia mais...

Relatório EdC 2016

Cover Edc44 EN modUm ano de vida EdC, estratégias e perspectivas para o futuro. 

 Ir para a versão online

ANPECOM: o site!

Aderir a EdC

EoC Companies crop banner rid modCadastre a sua empresa no novo site exclusivo: edc-info.org

Descubra mais...

Cidade Nova e EdC

pessoas edc003A revista Cidade Nova tem agora uma página dedicada à Economia de Comunhão, com relatos de pessoas envolvidas com o projeto.

Artigos já publicados:

Escola interamericana reunirá jovens empreendedores - 10/2015
A Aurora de uma nova cultura
- 09/2015
Comunhão e a crise grega - 08/2015
John Nash e a EdC
- 07/2015
Dado empresarial e a prática dos valores da empresa
- 06/2015
Nairóbi, capital de uma nova economia
- 05/2015
EdC e a qualidade do produto
- 04/2015
O lucro não monetário
 - 03/2015
Confiança e análise de risco - 02/2015
Economia e humanismo - 01/2015

O dado das empresas

Logo cube IT 150

A nova revolução para a pequena empresa.
Dobre! Jogue! Leia! Viva! Compartilhe! Experimente!

O dado das empresas agora também em português!

Documento de Identidade da EdC

logo_edc_benv A Economia de Comunhão (EdC) é um movimento que envolve empresários, empresas, associações, instituições econômicas, mas também trabalhadores, gestores, consumidores, poupadores, pesquisadores, operadores econômicos, pobres, cidadãos, famílias. Foi fundada por Chiara Lubich em maio de 1991 em São Paulo, no Brasil.
Leia mais... 

Linhas para a gestão de uma empresa de EdC

Binari_rid_modA Economia de Comunhão propõe às organizações produtivas que fazem própria a sua mensagem e a sua cultura, as “Linhas para a gestão de uma empresa”, escritas à luz da vida e da reflexão de milhares de empresários e trabalhadores...
Leia mais...

As tirinhas de Formy!

Ecco Formy rid mod

Conheces a mascote do site Edc?
Leia mais...

A economia da partilha

Chiara_Lubich_1Chiara Lubich

«Ao contrário da economia consumista,
baseada numa cultura do ter,
a economia de comunhão é
economia da partilha...

Leia mais...

Este site utiliza cookies, também de terceiros, para oferecer maiores vantagens de navegação. Fechando este banner você concorda com as nossas condições para o uso dos cookies.